Header Ads

ad728
  • Recentes

    Frutificai e multiplicai

    Frutificai e multiplicai
     “E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a [...]” (Gn 1.28).


    A criação do homem
    Deus criou o homem à sua imagem e semelhança (Gn 1.26-27).
     Ele o fez puro, inocente, perfeito, sábio e belo em todos os aspectos, dando-lhe a capacidade de escolha (Gn 2.16-17).
      Entretanto, Deus não fez o homem para ficar só. Ele mesmo lhe deu uma esposa que lhe fosse companheira, amiga, com quem Adão pudesse compartilhar seus sonhos, sentimentos e anseios (Gn 2.18, 21-24).
     E, ainda no jardim do Éden, Deus deu a Adão e Eva a ordem para frutificarem e se multiplicarem, para perpetuação da raça humana e completude do propósito divino (Gn 1.28). Eles deveriam ter filhos e haveriam de se alegrar no cumprimento da ordem do Senhor.
     Sabemos que um lar torna-se mais alegre com a chegada dos filhos (Sl 127.3-5).
       As crianças trazem “vida” para a família e enchem a casa de algo muito especial (Sl 128.3).
     As crianças querem aprender (Dt 6.7).
     Elas são curiosas e fazem muitas perguntas.
     Elas estão sempre em movimento e quase não param (exceto quando dormem)… Parece que a casa cheia de crianças não fica arrumada.
     Os pais se cansam e desejam que elas cresçam logo para conseguirem fazer suas coisas sozinhas.
     E elas crescem e também irão ter o seu próprio lar, os próprios filhos e o ciclo da vida se completa (Sl 128.6).

     A Igreja e os novos convertidos
      Na igreja, a dinâmica da vida espiritual é a mesma da família.
     Paulo disse que somos família de Deus (Ef 2.19).
     Geramos filhos espirituais (Gl 4.19), e estes são semelhantes às nossas crianças. Precisam de atenção, de cuidado, de ensino, de carinho, de apoio, de respostas às suas inúmeras perguntas, de oração, de alimento espiritual (1Pe 2.2).
     O apóstolo Paulo afirma que a Igreja, ou “a Jerusalém que desce do alto”, é a nossa mãe (Gl 4.26).
      A Bíblia diz que a Igreja é que faz o papel de mãe para o povo de Deus.
       Isto significa que o cuidado com os filhos pequenos, o preparo do alimento espiritual (1Co 3.2), os cuidados necessários de higiene e disciplina (Hb 12.5-8), o Senhor deixou por conta da igreja (um papel maternal).
      Sabemos que a criança precisa dos pais para uma boa educação (Pv 10.1).
      Uma criança educada e obediente traz elogios para seus pais (Pv 17.6), principalmente para sua mãe (Pv 29.15).
     Portanto, o projeto de Deus para a Igreja é que ela possa gerar filhos saudáveis, que amadureçam no temor do Senhor, que pratiquem sua Palavra e cumpram a sua boa vontade.

        A ordem do Senhor
    O Senhor ordenou ao primeiro casal que eles se multiplicassem e enchessem a terra com seus descendentes.
     Essa ordem é a mesma para a Igreja.

     Jesus deu a seguinte ordem aos seus seguidores: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.” (Mt 28.19-20).

     Cada crente recebe do Senhor a mesma incumbência: fazer discípulos.
     Na linguagem da família, isto significa “gerar filhos espirituais”.
     Os filhos são o fruto do amor do casal, no plano físico perfeito de Deus.
     No sentido espiritual, os filhos espirituais são o resultado do amor de Deus derramado em nossos corações (Rm 5.5).
      A família cresce por meio do nosso amor ao Pai.
     Esse amor nos leva a pregar a Palavra, a amar as pessoas e levá-las ao coração de Deus.

     Você já teve a experiência de ganhar alguém para o Reino de Deus?

      Quando o Senhor Jesus chamou Pedro para segui-lo, Ele lhe disse que faria dele um “pescador de homens” (Mc 1.16-17).
     E realmente Pedro foi um grande pescador de homens (At 2.14-41).
     Mas esta tarefa não é apenas de algumas pessoas capacitadas e chamadas por Deus.
     Esta é uma tarefa de todos. Foi dada a toda a Igreja. É nossa! É sua!

    A Igreja e os frutos
    Jesus comparou a Igreja (seus discípulos) com uma videira (Jo 15.1). Ele disse: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Toda a vara em mim, que não dá fruto, ele a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto.” (Jo 15.1-2).
    A nossa vida está ligada a Cristo. É dele que sai todo o suprimento para nos manter vivos e frutíferos. Fomos feitos para frutificar (Jo 15.16). Para multiplicar. Não podemos ficar inativos, infrutíferos (Tt 3.14), pois, nesse caso, o agricultor terá de cortar os galhos que não cumprem o seu propósito (Jo 15.6).
     Todo aquele que encontrou a água viva, assim como a mulher samaritana, vai imediatamente levar a boa notícia: que tem água viva para todos (Jo 4.28-30).
       O suprimento de Deus nos torna em fontes a jorrar para a vida eterna (Jo 4.14), aleluia! Portanto, meu irmão, não fique parado, mas vá falar do amor de Cristo aos seus vizinhos, familiares, amigos e conhecidos.
      Corra para anunciar que o perdão de Deus está à disposição daquele que o buscar.
      Mostre o caminho da “fonte” para o que está perecendo no deserto da vida.
     Mostre a verdade para o que está em trevas, deixe a sua luz brilhar.
     Seja modelo para os seus parentes, para os seus vizinhos.
     Lembre-se que a semeadura da Palavra está em nossas mãos (Mc 4.3), mas os resultados pertencem ao Senhor.
     É o Espírito Santo quem convence o mundo do pecado, da justiça e do juízo.
     Nós colocamos em prática a sua ordem, a “Grande Comissão” (Mt 28.19-20), Ele vivifica a Palavra anunciada e faz a semente brotar nos corações (1Co 3.6).
    Que, naquele glorioso dia que nos aguarda (1Co 3.13-14), você possa estar com suas mãos cheias de precioso fruto para a glória de Deus: vidas salvas por meio de seu testemunho e da pregação da Palavra.

    Desafios para a semana: Peça a Deus a bênção de evangelizar uma pessoa nesta semana.
    Se você já tem mais anos de experiência com Cristo, procure ajudar algum novo convertido na sua jornada.
     Pegue a ficha com o líder de sua célula, ore por esse irmão, visite-o, leve-o à sua célula e caminhe com ele nos primeiros passos da fé.
    Peça ao Senhor a graça de semear a Palavra viva nos corações e de ver o fruto espiritual da salvação nas pessoas com quem você convive.
    Convide alguém para vir à igreja no próximo domingo e ore por essa pessoa.

    Lembre-se o reino de Deus é muito organizado, não pregamos sem propósitos ou responsabilidades, temos um papel em nossa igreja local e devemos conduzir nossos convidados para nosso convívio, ou seja a sua igreja local, onde você poderá acompanhar e cuidar.

    Nenhum comentário

    Deixe seu comentário.

    Post Top Ad

    ad728

    Post Bottom Ad

    ad728