Header Ads

ad728
  • Recentes

    Vejamos a Oração de Neemias



     A ORAÇÃO DE NEEMIAS
    Ne 1.1-11
    A atitude de orar não se encontra entre as principais atividades das pessoas.
    Muitos acham que é uma atitude ultrapassada.
    Existem pessoas porém que estão descobrindo que a oração os sustenta quando os problemas que enfrentam parecem maiores que elas.

    Neste texto Neemias nos conta sua experiência com a oração. Ele soube noticias que seu povo e que a cidade de Jerusalém encontrava-se em miséria. Ele estava em outro pais e sentia-se impossibilitado de ajudar. O que ele fez. Voltou-se para Deus em oração.
    Do seu exemplo na oração podemos aprender como a oração pode tornar-se um fator decisivo em nossa vida.
    Ao analisarmos a experiência da oração de Neemias chegamos a algumas conclusões que são lições práticas para nossa vida.


    Leiam Também:



    Primeira lição – A oração deve proceder do conhecimento de uma necessidade especifica – vs 1-4
    Muitas de nossas orações são vagas, vazias. São apenas pedidos a Deus que abençoe a alguém ou a nós mesmos.
     Quando oramos por alguém geralmente não procuramos saber a real situação e necessidade da pessoa.
     Quando quisermos orar por alguém devemos entender que devemos nos concentrar numa luta por aquela pessoa.
     A oração disse Jesus não mera tagarelice, é uma guerra.
    O relato de Hanani era um relato preocupante.
     E o conhecimento das condições daquelas pessoas leva Neemias a orar.
     Ele passa dias orando e jejuando.
     Ele não soltou apenas algumas palavras. Ele lutou em oração.

    Segunda lição – A oração deve ser fruto de reverência a Deus – v.5
    Neemias começa sua oração exaltando ao Senhor. “Ó Senhor, Deus dos céus, Deus grande e Temível...”.
    Ele focaliza sua oração sobre a grandeza daquele de quem se aproxima.
     Ele está diante da majestade do Senhor, reconhece e declara isso.
     Quanto mais ele declara a grandeza do Senhor, menor se torna seu problema.
     Menos medo da vida ele tem.
    O Senhor Jesus nos ensinou este tipo de oração, na oração do Pai Nosso.

    Terceira lição – A oração deve ser fruto de um coração arrependido – v. 6-7
    Neemias reconhece que é um pecador.
     Ele não está ali para fazer nem uma exigência a Deus.
     Ele não diz que tem algum direito.
     Ele não está em uma posição de colocar Deus contra a parede.
     Ele se confessa um pecador.

    Quarta lição – A oração deve se basear numa aliança com Deus – v. 8-9
    Muitas de nossas orações são ocasionais, descompromissadas.
     A oração de Neemias demonstra que ele conhecia as promessas do Senhor, ele conhecia a Palavra de Deus.
     Demonstra também como a Palavra controlava sua vida.

    Quinta lição – A oração deve também louvar a Deus. V.10
    Muitas pessoas oram, mas só pedem. Pedir é muito importante, mas não esqueça de agradecer a Deus, reconhecendo que ele tem agido na sua vida.

    Sexta lição – a oração deve ser perseverante . v.11
    Suas palavras finais neste texto revelam que ele seguirá orando.
     Na continuação do texto chegamos a conclusão que ele orou quatro meses até que a resposta viesse.
    Há muitas pessoas que oram, seguem o mesmo exemplo da oração de Neemias, mas não obtém o resultado que ele obteve, mas falham em perseverar.
    Ele continuou orando.
     Muitas vezes começamos a orar e depois não perseveramos. Ele poderia orar uma ou duas vezes e depois deixar tudo como estava.

    Algumas lições práticas que tiramos são:
    1) Não podemos orar como se estivéssemos apertando um botão de um microondas ou uma campanhia que chama um atendente.

    2) Não podemos orar como se o Senhor fosse um garoto de recados que saltasse sempre que ocasionalmente soltamos nossas palavras.

    3) Não podemos orar apenas uma ou duas vezes e já cobrarmos uma resposta.

    A oração coloca nossa vida em conformidade com a vontade de Deus.
    A oração nos prepara para receber a resposta.
    A oração fortalece nosso propósito de vida. Estabelece e firma nossos planos.
    A oração nos eleva da desconfiança para a confiança.
    Da incredulidade para a fé.
    Da independência para a dependência de Deus.
    Os auto-suficientes não oram, apenas falam consigo mesmos.
    Os auto-satisfeitos não tem conhecimento de sua necessidade.
    A oração também tem o poder de colocar os problemas no lugar deles. Todos eles são menos do que o Senhor.
    A oração nos dá novas perspectivas. Abre nossos olhos para coisas nunca vistas antes.
    A oração também não é fruto nem reflexos de mentes e corações egoístas.
    A oração torna Deus maior para nós e quanto maior o Senhor se torna para nós, menor é nossa visão dos problemas.

    Para concluir: nossas orações diárias diminuem nossas preocupações diárias.
    Jesus orava sempre.
     Devemos orar sempre.
     Neemias era um homem de grandes orações e foi um homem de grandes ações.

    Nenhum comentário

    Deixe seu comentário.

    Post Top Ad

    Garanta Sua Vaga Gratuitamente

    Post Bottom Ad

    ad728