» » » Cristo e Nós / Uma Vida de Fé

UMA VIDA DE FÉ
Mencionamos a ressurreição de Cristo e mostramos como podemos receber uma nova vida nessa ressurreição. Mas há uma questão crucial que é fator decisivo em nossa vida cristã. Temos de separar este capítulo para estudar esse assunto. Se não o fizermos, perderemos um aspecto vital da nossa crença. Além disso, temos de complementar nossas mensagens ante­riores com vários pontos sobre a fé. Reuniremos tudo isso neste mesmo capítulo.

O Propósito de uma Nova Vida
Antes de tudo, queremos perguntar por que Deus nos dá uma nova vida. Temos de ver esse assunto desde o começo. Devo considerar que todos vocês são cristãos e, portanto, tratarei de toda a questão sob o ponto de vista bíblico. No Antigo Testamento existem as leis com todas as ordenanças. As leis não consistem meramente nos Dez Mandamentos; elas compreendem centenas de ordenanças e regulamentos. Há leis para governar sua maneira de vestir; há leis para dizer aos homens quando plantar e semear; há leis regendo o uso de bois e mulas; a tecelagem tem seus regulamentos e a culinária seus sistemas. Tudo é estritamente regulamentado. A totalidade desses códigos de comportamento são as leis. Queremos saber por que todas essas leis são necessárias. Por que Deus estabeleceu todas essas ordenanças no Antigo Testamento?


Leia Também:


A Lei é para Ser Guardada?
Se você conferir com todas as nações do mundo por que elas instituíram suas leis, cada uma certamente responderia que as leis são para serem guardadas pelos cidadãos. Será, então, também essa a razão de Deus haver instituído Suas leis? É pelo fato de Deus não querer que adoremos ídolos que Ele promul­gou a lei proibindo a idolatria? Ou será pelo fato de Ele querer que honremos nossos pais, não cobicemos, não matemos ou roubemos, que Ele deu as leis correspondentes? Se fizermos essa pergunta a qualquer pessoa, a resposta certamente será sim. Elas nos diriam que a razão de Deus nos ter dado as leis, mandamentos e ordenanças é para que os guardemos e vivamos por eles, da mesma maneira que qualquer nação exige que seus cidadãos se sujeitem às suas leis.
Mas nós, cristãos, jamais deveríamos responder a essa pergunta dessa maneira. Você tem de me permitir falar uma palavra franca. Se pensa que Deus introduziu essas leis para que as guardemos, você nada sabe sobre a fé cristã. Você ainda é um estranho.
Naturalmente, você responderá: "Se o propósito de Deus ao dar-nos as leis não é para que as guardemos, qual, então, é a vantagem de dá-las a nós?" Minha resposta é: para que possamos transgredi-Ias! Todas as ordenanças escritas nas leis são para que as quebremos! Essa é a verdade de acordo com a Bíblia. E isso que os livros aos Romanos e aos Gálatas nos dizem definitivamente.

A Lei é para Expor o Homem
Aqui necessitamos de uma palavra de explicação. Porque Deus nos deu a lei? O Espírito de Deus deu a resposta por meio das palavras de Paulo: "Sobreveio a lei para que avultasse a ofensa" (Rm 5:20). É por causa da presença do pecado que a lei é acrescentada. Paulo também nos disse que a lei é para expor os pecados do homem. Em outras palavras, o propósito da lei não é remover nosso pecado, mas, em vez disso, revelá‑lo. Se a lei existisse visando a remoção de pecados, então teríamos de guardá-la. Mas a lei não tem esse propósito. 1 In existe para nos expor. "Sobreveio a lei", com o propósito de nos mostrar nossos pecados.
Deus sabe muito bem que tipo de pessoa somos. Ele co-nhece perfeitamente nossas fraquezas e corrupção. Ele percebe que nossa conduta e comportamento são tais que, mesmo que quiséssemos fazer o bem não o conseguiríamos. Interiormente, somos corrompidos e exteriormente degrada­dos. A raiz do problema é que não somente temos um compor-tamento maligno, mas também uma vida maligna.
Mas eis aqui o problema. Deus conhece nossa perver­sidade, mas nós a desconhecemos. Ele percebe nossa depravação máxima, mas não perdemos a esperança em nós mesmos. Pensamos que, se pudermos ser um pouco mais fortes ou ter um pouco mais de poder, conseguiremos obedecer às palavras de Deus. Ou podemos pensar que o que nos falta é mais esforço ou doutrinas mais elevadas ou qualquer outro tipo de ajuda de Deus. Achamos que pode­mos fazer algo, mas Deus sabe que nada podemos fazer! Por essa razão, Deus deu ao homem uma longa lista de leis, não para o homem guardá-las, mas para transgredi-ias. Dessa maneira, o homem terá sua maldade exposta e perceberá que a salvação nunca pode vir por intermédio das leis.
Deus nos conhece muito bem. Mas nós não nos conhece­mos. Deus sabe que somos apenas criancinhas e, correndo da maneira que fazemos, iremos tropeçar. Nós, entretanto, não o percebemos. Por fim, tropeçamos e caímos e, então, passa­mos a crer que somos falíveis. Nós não nos conhecemos.
    Por essa razão, a Bíblia diz que as leis encerram a todos nós sob o pecado. Através dos séculos, Deus nos tem ensinado uma lição, para que aprendamos sobre a impossibilidade de se guardar a lei. Nunca conseguiremos faze-lo. Nenhum dos mandamentos existem para que os guardemos. Estão todos aí para serem transgredidos por nós. 0 resultado é que venhamos a nos conhecer. Quando conhecermos a nós mesmos, diremos: "Oh! Deus, eu desisto! Agora sei o que desejas fazer comigo!”.

Que Fazer?
Quando Cristo estava na terra, um jovem israelita foi até Ele. Esse homem era muito nobre e refinado. Ele perguntou: "Que farei para herdar a vida eterna?" Naquele dia, o Senhor não lhe disse o que estamos acostumados a ouvir: que aquele que Nele crer terá a vida eterna. Em vez disso, Ele disse: "Sabes os mandamentos: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, não defraudarás nin­guém, honra a teu pai e a tua mãe" (Marcos 10:19).
Depois de ter ouvido isso, o jovem disse confiantemente: "Tudo isso tenho observado desde a minha juventude”.O Senhor sabia que estava ali uma pessoa que não conhecia a si mesma. Ele disse: "Só uma coisa te falta”.Parece que Ele estava dizendo: "Então, você pensa que é perfeito. Vejamos se isso é verdade ou não”. 0 Senhor prosseguiu: "Vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; então vem, e segue-me" (v. 21). Como reagiu o jovem a essas palavras? Ele começou a perceber que o que Deus exige ele jamais consegui­ria cumprir. Esse item adicional era algo que ele não conseguia fazer. Então, ele se retirou tristemente. Ele precisava conhecer a si mesmo; ele precisava perceber que era incapaz.

Para o Homem É Impossível
Então, que disse Cristo? Ele disse: "Quão dificilmente entra-rão no reino de Deus os que têm riquezas! É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha, do que entrar um rico no reino de Deus" (vs. 23, 25). Eis aqui o propósito de Cristo ter deixado per-plexo o jovem. Ele quer que percebamos que essas coisas são impossíveis para os homens. Não estou dizen­do que o Senhor exige que todos vendam seus bens para que possam ser salvos. O que Ele estava tentando era fazer com que todos aqueles que pen-savam que eram capazes, percebessem sua verdadeira situação. Deus somente quer mostrar ao homem que ele é incapaz. A vida do homem é uma vida impotente. Não há possibilidade de o homem tomar-se capaz.
Se o homem confessasse sua incapacidade e desistisse diante de Deus, tudo estaria bem. Oh! Jovem. Por que você tem de par-tir tão triste? Está bem que reconheça sua incapacidade; mas é errado retirar-se triste. O que você deveria lar dito é: "Senhor, isso eu não consigo fazer. Não tenho como fazê-lo. Salva-me”.Se você tivesse dito isso, tudo seria diferente. O propósito do Se-nhor não é que você se vá, mas é fazê-lo ver que não é capaz.
Quando um homem diz: "Eu sou capaz", Deus perde Sua capa-cidade para com ele. Mas sempre que o homem torna-se incapaz, Deus se torna capaz. Quando tivermos esgotado nossas forças, Deus manifestará Seu poder e glória.

A História dos Israelitas
Vejamos um pouco mais a história dos israelitas. Depois que Deus deu as leis, os filhos de Israel responderam de maneira aparentemente boa. Disseram que tudo o que o Senhor lhes ordenasse, eles fariam. O primeiro mandamento que Deus deu foi que não deveria haver outro Deus além Dele. Moisés recebeu esse mandamento no monte. Mas antes mesmo de ele descer, os filhos de Israel já haviam feito para si um bezerro de ouro, dizendo: "Este é o nosso Deus”.Eles prometeram levianamente que obedeceriam aos mandamen­tos de Deus. Mas Deus mostrou-lhes que, na verdade, eles eram incapazes de fazê-lo. Foi isso que ocorreu com os filhos de Israel. Foi isso que ocorreu com o jovem rico. É isso também que está ocorrendo conosco. Cada vez mais, Deus está mostrando ao homem que ele é incapaz.

Quem Pode Guardar as Leis de Deus?
Quem, então, pode guardar as leis de Deus? Essa é a segun- da pergunta crucial que temos de fazer.
Lembre-se, por favor, de que todo mandamento na Bíblia é uma exigência excessiva. Todo homem rico tem de vender todos os seus bens e dá-los aos pobres e, então, seguir a Jesus de Nazaré. Que é isso? Isso não é um exagero? As exigências de Cristo são tão severas que exigem nossa vida! Ele diz que todo aquele que amar a seu pai, mãe ou filhos, mais do que a Ele, não é digno de ser Seu discípulo. Tampouco o que não tomar sua cruz para segui-Lo. Isso não é pedir sua própria vida? Sim, especialmente a sentença que diz respeito a tomar a cruz.  Nos nossos dias, o equivalente à cruz, seria levar um criminoso ao local de execução, com as mãos e os pés acorrentados, e, então, arrastá-lo pelas ruas para ridicularizarão públi-ca. Se você não puder ser como aquele criminoso, não poderá ser Seu discípulo! Não está Ele exigindo nossa própria vida?
Outra vez, Ele diz: "Amai os vossos inimigos”.Para nós, um mero perdão é quase impossível. Entretanto, Ele vem falar de amor. Portanto, temos de ver que todos os mandamentos de Deus são impossíveis de serem cumpridos.

Somente o Próprio Deus
Somente o próprio Deus é capaz. Os mandamentos de Cristo somente podem ser cumpridos pelo próprio Cristo. Nem você nem eu podemos fazer nada. Portanto, a resposta à nossa segunda pergunta é que somente o Filho de Deus pode satisfazer as exigências de Deus. Todos nós somos incapazes. Somente Deus é capaz.
Por essa razão, sempre que um irmão no Senhor me diz que não tem esperanças em si mesmo, que cai assim que se levanta, e que quanto mais ele tenta mais fracassa, eu me alegro muito. Quanto mais ele chora por suas transgressões e fracassos, mais eu sorrio interiormente. Eu digo: "Hoje você sabe que é um fracasso. Isso é algo que deve ser comemorado. Embora você devesse ter sabido disso mais cedo, ainda não é tarde demais para sabê-lo”.Não conseguimos obedecer à vontade de Deus. À vontade de Deus somente pode ser feita por Ele próprio, e os mandamentos de Cristo, além de Cristo, nin-guém mais conseguem cumprir.

As Boas Novas
Nosso Evangelho também é chamado de boas novas. Por que ele é chamado de boas novas? Seria por que a Bíblia contém mandamentos que têm um padrão mais elevado que todas as demais religiões? Se for assim, então estaremos pregando tristes novas. Em um teste de aptidão física, se a exigência é que se salte somente trinta centímetros, todos serão facilmente aprovados. Mas se a exigência for de três metros, então teremos tristes novas.
Qual é a boa notícia que Deus nos deu? É a entrega de Seu Filho a nós. Pela Sua ressurreição nós estamos ressuscitados. Ele agora está vivendo dentro de nós para ser nossa vida, a fim de que possamos expressá-lo e cumprir Suas exigências. Essa é a boa nova. A boa nova é que Deus está cumprindo Seus próprios mandamentos em nós! O evangelho não é um monte de faça isso e não faça aquilo. Você não precisa rastejar pela terra dia e noite, dizendo a si mesmo repetidamente que não deve pecar. Não é essa a boa nova. Isso é uma triste nova. O evangelho é que Deus vem para dentro de nós para viver e obedecer por nós.

Ele nos Torna Capazes
Não somente temos de ver que somos incapazes; temos de perceber que Deus é capaz! O jovem rico apenas viu que ele era incapaz e concluiu que Deus também o era e retirou-se tris-te. Mas Deus é capaz! Não pense que quando não consegue está tudo terminado para você. A incapacidade do homem é o ini-cio da capacidade de Deus.É o momento para Deusmostrar Seu poder. Não que sejamos capazes, mas Ele está trabalhando por nós, para capacitar-nos.
Esse é o significado de Cristo ser nossa vida: que anterior-mente o homem vivia por sua própria vida, [nas pela vinda da vida de ressurreição de Cristo, a vida natural é despojada. O "eu" que antes vivia, foi-se, e a vida de Cristo entra para substituí-lo. Já não sou eu quem vive. Quando a vida interior é trocada, o comportamento exterior não pode permanecer o mesmo; porque nossa vida é Cristo, podemos satisfazer os mandamentos de Cristo. Não se trata do poder de Cristo ajudando-me a confor-mar-se com Suas ordenanças. Em vez disso, é a vida de Cristo substituindo a minha vida para viver Seus mandamentos. Quando Sua vida está operando interior­mente, eu posso guardar Suas leis.

A Velha Aliança — Um Fracasso
Temos de ver cuidadosamente uma passagem. Hebreus 8:8-9 diz: "E, de fato, repreendendo-os, diz: Eis aí vêm dias, diz o Senhor, e firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá, não segundo a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os conduzir até fora da terra do Egito; pois eles não continu­aram na minha aliança, e eu não atentei para eles, diz o Senhor”.
Como Deus estabeleceu Sua aliança com os filhos de Israel? Ele o fez tomando-os pela mão. Foi algo exterior. As leis foram escritas em tábuas de pedra, e também eram exteriores. O resultado é que eles não continuaram na aliança de Deus e Deus não atentou para eles. Os mandamentos de Deus são uma coisa, nossa obediência é outra. O resultado de toda aquela experiência foi um fracasso.

A Nova Aliança Interior
Vejamos agora a segunda aliança. O capítulo 8:10-11 diz: "Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor. Nas suas mentes imprimi­rei as minhas leis, também sobre os seus corações as inscreve­rei; e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo”.
A lei, agora, é colocada dentro do homem. Já não está mais gravada em pedras nem meramente registrada na Bíblia, mas está inscrita no nosso coração. Qual a vantagem de ter a lei colocada em nosso interior? Ezequiel 36:27 diz: "Porei dentro em vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, guardeis os meus juízos e os observeis." Note, por favor, a palavra "farei" aqui. Trata-se de uma palavra forte na língua hebraica. O resultado de Deus colocar Seu Espírito e em nós é fazer-nos capazes de obedecer às Suas ordenanças e de andar em seus estatutos.
  Na velha aliança o homem tinha de esforçar-se para obedecer aos mandamentos de Deus. Agora, o Espírito de Deus está em nós. Ele nos faz obedecer. Até aí, Deus havia dado os mandamentos e nós providenciávamos nossa própria força para cumpri-los. Agora, Deus é quem comanda e tam­bém é quem supre. Após a ressurreição, Cristo veio para o nosso interior para se tornar nossa vida. O resultado é que fomos capacitados a cumprir os mandamentos de Deus. Isso é o evangelho. A suficiência de Cristo tomou-se nossa capaci­dade. Porque é Cristo quem está vivendo por nós, todos os problemas são resolvidos.

Estou Crucificado com Cristo
Agora transfiro a pergunta para você. Você já perdeu a esperança em si mesmo? Você ainda está tentando aperfeiço­ar-se e reformar-se para alcançar um padrão melhor? Eu abandonei totalmente qualquer esperança em mim! Estou crucificado na cruz. Toda minha bondade e iniqüidade foram igualmente exterminadas. Tudo agora é Cristo. Esse é o único caminho. Paulo disse: "Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que agora tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim”.
Você crê que Deus o crucificou? Crê que seu velho homem foi anulado e que Cristo está em você? Se assim for, você tem de substantificar todos esses fatos. Desse modo será capaz de dizer que daqui por diante Cristo está vivendo em você.

Não é Necessário Esperar
Certa vez fui convidado para jantar na casa de um mis-sionário. Sentamo-nos e conversamos por longo tempo sobre este assunto. Perguntei-lhe: "Você pode dizer que venceu todos os seus pecados?" Ele respondeu: "Tenho de esperar para verse vai dar certo ou não." O que ele queria dizer era o seguinte: "Paulo disse que morreu e ressuscitou. Mas eu não posso dizer o mesmo, porque se disser isto e amanhã perder a paciência, que farei? Não estou vivo ainda? Portanto, devo esperar alguns dias para ver se funciona ou não."
Eu lhe disse: "Deus colocou Seu Filho em você; você agora está morto com Ele. Deus também colocou você em Sua ressurreição, para que Ele possa ser sua vida interior. O que deve fazer é crer. Em vez disso, você está simplesmente esperando. Você crê de verdade? Não está crendo, pois se estivesse, teria de louvara  Deus por Cristo ser a sua vida. Você nem mesmo se preocuparia se vai dar certo ou não. Deus é responsável por isso e Ele nunca erra. Todas as obras consumadas de Deus tomam-se reais para você, quando você exercita sua fé. Que está esperando? Você está duvidando da palavra de Deus?”.

Crendo nos Fatos
Uma vez mais, trata-se de uma questão de fé. A fé sempre refere-se a fatos consumados. Qualquer coisa que seja para amanhã, não é fé. Tampouco é algo que se espera. Muitos, depois de ouvir tais mensagens, diriam que têm fé. Mas se eles verdadeiramente a têm ou não, é uma questão em aberto.
Deixe-me ilustrar com uma história real o que quero dizer. Tenho dois cooperadores. Um é um irmão chamado Nee. O outro é uma irmã chamada Lee. Os dois entraram recentemente no serviço cristão, e ambos são míopes. Cada um tinha um óculo. A senhorita Lee foi à presença do Senhor e orou: "Senhor, Tu curaste o cego. Não poderias fazer o mesmo por mim? É mui-to inconveniente para mim viajar por aí pregando nos vilarejos com este par de óculos. Senhor, cura-me." Ela fez essa petição num pequeno barco a vapor, a caminho de um vilarejo. Depois de sua oração, ela teve a certeza de que Deus havia respondido. Ela teve fé interiormente para jogar seus óculos no rio. Conseqüentemente, seus olhos foram curados.

Fé Não É Algo para o Futuro
A notícia disso chegou ao Sr. Nee. Um dia ele veio a mim dizendo: "Deus curou os olhos da srta. Lee. Creio que Ele faria o mesmo por mim”.Respondi: "Você disse que Deus o curaria. Isso prova que você ainda não tem a fé. Você não será curado”.Ele, entretanto, insistiu que Deus operaria um mila­gre e que ele tinha tal fé.
Dois dias depois ele estava num barco a vapor. Ele tomou seus óculos e jogou-os na água. Um mês depois eu o vi e ele me disse que seus olhos não haviam melhorado nada. Parecia que Deus ainda não o tinha curado. Eu disse: "Se você for sábio, será melhor gastar doze dólares para comprar um novo par de óculos”.Ele disse que ia pregar em Ku-tien e que estaria de volta dentro de quatro meses. Ele tinha a fé de que até aquela data estaria curado. Eu disse: "Se você pensa que Deus vai curá-lo daqui a quatro meses, você está colocando sua fé no futuro. Isso não é fé genuína”.

A Fé Adequada
Você consegue entender agora? A srta. Lee tem a fé genu-ína. Ela disse: "Senhor, agradeço-Te porque já não sou mais mio-pe. Por essa razão jogo fora meus óculos”.Mas o Sr. Nee disse: "Quando eu jogar fora meus óculos, serei curado”.Ela creu que o Senhor já realizara sua cura. É isso que a verdadeira fé exige. É uma fé que crê que Deus realizou e cumpriu toda a Sua vontade.
O mesmo princípio se aplica à nossa salvação e no viver uma vida vitoriosa. Não estamos esperando que Deus nos salve. Temo que alguns ainda continuem esperando, mesmo depois de terem chegado ao inferno. Tampouco esperando que a vitória chegue daqui a dois dias. O que devemos dizer é: "Senhor, agradeço-Te. Meus pecados foram perdoados. Obrigado, Senhor, porque já não sou eu quem vive, mas Tu vives em mim." Você tem de crer naquilo que é e naquilo que foi. Quando fizer isto, você será salvo.

Receber por Fé
Há outra passagem na Bíblia referente à fé. Marcos 11:24 deve ser lido com atenção: "Por isso vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e será assim convosco”.
A palavra crucial neste versículo é "recebestes". Eu a sublinhei na minha Bíblia. "Crede que recebestes, e será assim convosco”.A primeira sentença está no passado e a segunda no futuro. A Bíblia somente apresenta esse tipo de fé. É a fé que crê que recebeu e não uma fé que espera receber. Somente o receber que é por fé é o verdadeiro receber. Sem o receber em fé, não existe o verdadeiro receber.
Às vezes, eu ou meus cooperadores ungimos pessoas doentes com óleo e oramos por elas. Freqüentemente pergun­to ao enfermo: "Deus ainda não respondeu às suas orações?" Os que têm fé dizem: "Sim, Deus respondeu às minhas orações. Minha enfermidade se foi”.Esse tipo de paciente pode ainda ter uma febre alta e pode não parecer muito bem, mas, por fim, ficará bem. Há outros que dizem: "Deus irá curar-me” ou "Eu serei curado". Por esses, temos de orar novamen­te, porque não detectamos nenhuma fé neles. O que eles têm não é fé, mas mera esperança. Ter a esperança de ser curado é muito diferente de crer que está curado. Os que crêem que receberam, receberão.
Vitória

O mesmo princípio é verdadeiro quanto ao viver vitorio­so. Se você crê que já é vitorioso, experimentará vitória após vitória. Mas se coloca sua esperança no futuro, você somente poderá experimentá-la no futuro. O tempo passado ocupa uma posição vital em nossas orações. Trata-se do que tenho, e não do que desejo. Desejar algo é um sinal de incredulidade A palavra "desejo" sempre impede nossas orações de serem respondidas. A palavra do Senhor é clara: quem crê que recebeu, receberá. 

Redação Catedral Da Paz

Rede Paz Brasil, Igreja Catedral Da Paz, Rio Verde-GO; Nas publicações podem conter Imagens e Textos das igrejas e seus oficiais e da Internet.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Deixe Seu Comentário

Leave a Reply

Deixe seu comentário.