» » » Atitude Águia Na Tempestade (4ª parte - serie águias)

Gostaria de compartilhar trechos da descrição de um homem que testemunhou, pessoalmente, a coragem de uma águia durante uma tempestade. Creio que esta história ilustra, efetivamente, duas lições que podemos aprender com a águia.
   Um relâmpago brilhou vividamente no céu escuro [...] Nuvens negras misteriosas cruzaram a baía como uma onda do mal, gigante e sinistra. Formaram um redemoinho que desceu ao chão, acrescentando dramaticidade ao efeito já assustador. Nova­mente, um raio riscou o céu, atingindo a terra com tal poder devastador que fez tremer a casa com o impacto [...] Galhos foram varridos para cima, árvores racharam, enquanto folhas e papéis foram impulsionados para o céu como tapetes voadores em miniatura.

O escritor continua para dizer que, enquanto observava o temporal, ele notou diferentes bandos de pássaros amontoando-se aterrorizados, tentando encontrar um local seguro. Então, ele olhou para o céu. Voando alto contra a tempestade, estava uma águia magnífica. Tal águia dava voltas e se lançava em meio aos relâmpagos. E com o estrondo do trovão, a águia batia as suas asas e voava para cima, ainda mais alto, na direção do céu.

Momentaneamente, eu me esqueci da ferocidade da rajada de vento, enquanto admirava essa magnífica criatura do céu, essa guerreira alada [...] Ali estava uma criatura audaz, destemida e inabalável diante da selvageria total das forças da natureza [...]
   Realmente, o ar de tranqüilidade da ave pareceu zombar da tempestade, ao desafiar as forças, enquanto sentia prazer na emoção de atravessar as turbulentas correntes de ar, navegando por cima delas com graça e controle.

Não sei se você já teve a chance de observar uma tempestade como a da história acima, entretanto, eu, quando criança no Texas, costumava vê-las o tempo todo. Se você mora em uma área em que há muitos furacões, por exemplo, provavelmente, já experimentou tempestades severas como aquela.
   No lugar de onde vim, esse tipo de tempestade geralmente ocorre muito na primavera. Às vezes, os estrondos dos trovões são tão poderosos, que fazem vibrar a casa inteira. Em tais ocasiões, se você não está dentro de casa, verá os pássaros voarem à procura de abrigo quase aterrorizados, tentando escapar do temporal. Durante essas tempestades, você sequer consegue ouvir sua própria conversa, pois o vento sopra muito alto. Todos começam a correr para abri­gar-se, pois sabem que uma tempestade chegará!
Observe dois pontos em particular ao analisarmos a atitude da águia nessa história. Em primeiro lugar, ela estava totalmente sem medo face à destruição. Em segundo lugar, ela foi capaz de voar acima de toda a confusão, turbulência e fúria da tempestade.
Enquanto todas as outras aves se apressavam em busca de abrigo, a águia confrontou o temporal e permaneceu em paz. Ela enfrentou a tempestade como se a desafiasse a prejudicá-la.
Uma águia realmente faz isso. Em muitas situações, mesmo nas tempestades mais violentas, ela voa e as enfrenta!
   Aqui está algo que podemos aprender. Nas tempestades da vida, podemos ser como os outros pássaros e fugir aterrorizados ou bater nossas asas com toda força natural enquanto tentamos escapar do problema. Ou somos como a águia, ao enfrentarmos a tempestade face a face, e usamos as nossas asas da fé, oração e louvor para elevar-nos acima das nuvens, no domínio da paz e tranqüilidade.
   O fato é que o diabo tentará atirar tudo que puder sobre você, assim como os ventos uivantes jogam folhas, papéis e lixo no seu rosto em uma tempestade natural. Porém, se aprender a desenvolver as suas asas da fé, em vez de ser levado pelo temporal, então, subirá nas correntes de ar e voará alto acima das nuvens! Em vez de correr de medo, você ascenderá até às alturas da vitória!

Enfrentando a tempestade face a face

Você não deve temer as circunstâncias da vida ou as situações desafiadoras em que se possa encontrar. Você tem de sentir-se em paz, porque a Bíblia diz que não existe medo naquele cuja mente está em Cristo Jesus (Is 26.3).
Compete a você saber como reagir às tempestades que surgem em seu caminho. É decisão sua fugir apavorado ou não, ou começar a esfregar as suas mãos e dizer: "Oh, meu Senhor! Por que está acontecendo isso comigo?"
Isso já aconteceu com todos nós em alguma ocasião. Escondemo-nos face a um problema e esfregamos as nossas mãos perguntando-nos: "O que farei agora?"
Mas, graças a Deus, aqueles dias se foram! Não pre­cisamos mais fugir do inimigo, apavorados. Podemos levantar-nos vitoriosos! No Reino espiritual, onde Deus deseja que habitemos, nós nos ergueremos com toda nossa força.
Deus não deseja que o inimigo leve vantagem sobre o Seu povo. Considere como a águia reage à tempestade. É certo que existe turbulência na tempestade, assim como o risco de destruição. Há ainda a possibilidade de devastação total. Mas, por causa da sua força e habilidade no vôo, a águia impede que a tempestade a destrua!
Sem dúvida, a águia sabe o que fazer no meio de uma tempestade. Ela tem a noção exata de quando virar-se e quando subir e cair com as correntes de vento. Assim, mesmo que ela enfrente uma força que a poderia destruir totalmente, ela não fica paralisada diante do que a tem­pestade possa causar-lhe. Por quê? Porque confia, tendo a consciência do que ela pode fazer.
Amigo, não devemos ser tão ignorantes pensando que o perigo potencial não existe, quando enfrentamos as tribulações. Certamente, precisamos compreender que o inimigo é uma força que nos pode destruir se permitirmos. Entretanto, a partir do momento que sabemos o que a Palavra de Deus tem a ensinar-nos, podemos segui-La para saber exatamente de que jeito devemos mover-nos e qual direção tomar. Então, nas tempestades da vida, temos de agir confiantes, como a águia o faz em uma tempestade natural!
Observe também que, a águia não voa na tempestade com a atitude: "Vou ver se funciona!”. Obviamente, dessa maneira, ela seria destruída.
Não podemos enfrentar as tempestades e as circuns­tâncias adversas da vida, com a atitude de que vamos experimentar a Palavra e ver se Ela funciona. Não! Sem dúvida, temos de enfrentá-las com confiança na Palavra de Deus, com grande ousadia e destemor.

Dependa da Palavra de Deus para livrá-lo

Há muitas pessoas que, em vez de permanecer na Palavra e enfrentar os problemas face a face, sempre procuram outra saída.
Por exemplo, alguém pode estar com problemas financeiros, e a primeira decisão que toma é ir à casa da avó a fim de pedir-lhe dinheiro. Então, ele começa a resolver as coisas por si mesmo, dizendo: "Bem, agora vejamos. O tio João poderá arranjar-me dez dólares. E a tia Maria que tem muito carinho por mim, se eu adulá-la, creio que poderei conseguir dela uns cin­qüenta dólares".
Algumas vezes, essa é a saída mais fácil. Mas eu lhe digo algo que alguém me falou certa vez. Se for sempre ao poço, mais cedo ou mais tarde, ele secará! Então, o que você fará?
Entenda que Deus é o Supridor das suas necessida­des (Fp 4.19). Assim, você deveria também aprender como usar as suas asas da fé, agora, e começar a depender da Palavra de Deus para conduzi-lo em meio às tempes­tades da vida!

Encarando a tempestade nos dias iniciais do RHEMA

Nos primeiros dias desse ministério, quando começamos o Centro de Treinamento Bíblico RHEMA, houve muitas vezes em que tive de usar a minha fé em favor do que precisava. Jamais falei a alguém a esse respeito, mas a cada dia, cri na provisão de Deus.
Eu me levantava e vestia meu melhor terno e gravata, como se pudesse comprar o mundo, por assim dizer. E no caminho para o trabalho, agradecia antecipadamente a Deus pelos tantos dólares para comprar apenas um hambúrguer, batatas fritas e um refrigerante para o lanche! Não tinha dinheiro algum no meu bolso a não ser as chaves do carro e a minha carteira de motorista. Era só isso! Não havia dinheiro escondido, dobrado separadamente em minha carteira para guardar na poupança - nada!
Naqueles dias iniciais do RHEMA, enfrentei a tempestade e cri que Deus supriria as minhas necessidades diárias. Portanto, agradeço ao Senhor porque, naquela ocasião, aprendi como depender da Palavra de Deus. De outra forma, minhas asas não estariam tão fortes como hoje!

Eu creio em Deus

Quando você exercita a sua fé e confia em Deus para alguma questão, a resposta nem sempre vem instantaneamente. Assim, freqüentemente, o inimigo virá e tentará, ao máximo, fazê-lo desistir e desencorajá-lo de permanecer na Palavra.
Em tais situações, acontecerá com você uma das duas coisas: ficará desencorajado, deprimido e perderá a sua vitória, ou permanecerá firme, encarará a tempestade e exclamará: "Eu creio em Deus!"'
Foi o que o apóstolo Paulo fez, segundo o Livro de Atos, no episódio em que ele estava no barco para Roma.
Lembre-se que, sobreveio uma tempestade, colocando em risco a segurança de todos os homens a bordo. Mas, por intermédio de um anjo, Paulo recebeu a Palavra de Deus prometendo que vida alguma se perderia, embora o próprio barco fosse destruído.
Aqueles homens no barco fizeram tudo o que podiam, mas a tempestade prevaleceu. Ela era tão violenta que toda a esperança de vitória parecia perdida.
Paulo podia ter-se desesperado e desencorajado como os outros. No entanto, em vez disso, ele encarou a tem­pestade e disse: Creio em Deus que há de acontecer assim como a mim me foi dito (At 27.25b).
E no meio da sua tempestade, você terá de fazer o mesmo: levantar ousadamente e afirmar: "Creio em Deus assim como a Palavra disse!"
As pessoas podem pensar: "Isso é muito simplista". Talvez sim. Mas lhe garanto, amigo: Funciona!
Quanto a mim, ajo da seguinte forma: se Deus disse, eu creio!

Redação Catedral Da Paz

Rede Paz Brasil, Igreja Catedral Da Paz, Rio Verde-GO; Nas publicações podem conter Imagens e Textos das igrejas e seus oficiais e da Internet.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Deixe Seu Comentário

Leave a Reply

Pessoal Fiquem a Vontade Para Comentar nossas publicações